América Latina discute projetos de integração em energia

O recente surto de crescimento mundial, que englobou também os países da América do Sul, colocou toda a área sob a ameaça de um "apagão". A crise financeira dos anos 80 e 90, as disputas de fronteira e a instabilidade de regras impediram o avanço dos projetos de integração energética. O risco de uma crise, porém, lançou uma nova luz sobre os países sul-americanos.Foi o assessor para Assuntos Internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, quem apontou o paradoxo: a América do Sul é a região que possui a maior reserva energética do planeta, se forem contabilizados os potenciais de todas as formas de energia: hidrelétrica, de petróleo e gás, nuclear, solar, eólica e de biocombustíveis. No entanto, todos os países da região enfrentam escassez de energia, em maior e menor grau.A solução, segundo avaliou Garcia, é impulsionar projetos de integração nessa área. Não por acaso, projetos do setor de energia são tema de conversas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com praticamente todos os chefes de Estado da América do Sul. "O motor da integração da América do Sul é a energia", disse ao Estado o embaixador Antônio José Ferreira Simões, chefe do Departamento de Energia do Itamaraty. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.