Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

América Latina está preparada para crise, avalia Cepal

Cepal mantém-se otimista em relação a essa turbulência, que estaria esgotada e reclusa ao mercado imobiliário americano

Denise Chrispim Marin, do Estadão,

21 de agosto de 2007 | 14h15

A América Latina está "mais preparada que nunca" para enfrentar uma eventual crise global, que venha a ser desencadeada a partir da turbulência no mercado imobiliário dos Estados Unidos. A avaliação foi apresentada esta manhã pelo economista Osvaldo Kasef, da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), no seminário empresarial do Fórum de Cooperação Ásia do Leste-América Latina (Focalal), na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI).Kasef explicou que, neste momento, a Cepal mantém-se otimista em relação a essa turbulência, que estaria esgotada e reclusa ao mercado imobiliário americano. O economista, entretanto, ponderou que ainda é cedo para a Cepal confirmar essa previsão. "Se a turbulência transcender o mercado imobiliário americano e se disseminar pela Europa e Ásia, a América Latina não estará isenta a essa crise global", declarou. "Mas a região está mais preparada que nunca e não seria afetada substancialmente."A convicção de que a América Latina mostra-se economicamente mais robusta para fazer frente a uma possível crise global está embasada na melhoria de, pelo menos, quatro indicadores - os níveis de reservas internacionais, o superávit fiscal, o superávit em conta corrente e a redução do endividamento público. Também foi levada em conta a diversificação dos mercados das exportações da região, a melhora nos indicadores do mercado de trabalho e o aumento da produtividade.

Tudo o que sabemos sobre:
Aversão ao risco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.