América Latina receberá menos investimentos, diz relatório

A América Latina está perdendo a guerra por investimentos externos. Essa é a conclusão de um relatório publicado nesta terça-feira pela Conferência da ONU para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad), que reuniu a opinião de agências de investimentos de todo o mundo e que destaca que o continente é o que menos gera prognósticos favoráveis nos próximos três anos em relação à entrada de recursos. Em um outro documento, a organização da ONU conclui que o Brasil sequer está no radar dos principais especialistas do mundo como um dos dez países mais atraentes para receber investimentos entre este ano e 2007. Na pesquisa, a América Latina foi a região que menos recebeu indicações de que investimentos cresceriam nos próximos anos. Apesar de a maioria das agências indicarem que novos fluxos de capital vão ocorrer em setores como serviços, agricultura e mineração, um terço dos entrevistados afirmou que o volume não aumentará em 2004 e 2005. Prognósticos um pouco mais otimistas mostram um crescimentos dos fluxos entre 2006 e 2007. Para os especialistas, os motivos para o desânimo em relação ao continente são vários: a falta de crescimento de várias economias, a falta de entrada de novos investimentos em 2002 e 2003, a falta de medidas governamentais para a atração de recursos e a menor liberalização dos mercados em relação a outros países emergentes. Segundo a Unctad, em 2003, só a África adotou um número menor de iniciativas de atração de investimentos que os latino-americanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.