Tobias Schwarz/Reuters
Tobias Schwarz/Reuters

América Latina tem de ajudar a solucionar crise, diz Merkel

Em entrevista publicada no jornal chileno El Mercurio, ela afirma que o novo peso econômico e internacional da América Latina também trouxe maiores responsabilidades 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

30 de dezembro de 2011 | 14h49

SANTIAGO/BERLIM - A América Latina precisa se tornar parte da solução para a crise econômica e financeira internacional, afirmou a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, em entrevista concedida ao Grupo de Jornais das Américas e publicada pelo jornal chileno El Mercurio. "O novo peso econômico e internacional da América Latina também trouxe maiores responsabilidades. (A região) terá de se tornar mais envolvida na busca de soluções para questões cruciais para o futuro do mundo", disse Merkel.

"Isso inclui a atual crise de dívida", acrescentou a chanceler. Merkel disse que, para a Alemanha, isso significa uma maior coordenação com a América Latina e o desenvolvimento de iniciativas conjuntas. À medida que as economias latino-americanas se fortalecerem e ganharem um espaço maior no cenário global, a Alemanha vai buscar reforçar seus laços com a região, afirmou Merkel, observando que dados recentes mostram que a Alemanha já está dando mais atenção à América Latina.

Embora as empresas alemãs sejam tradicionalmente fortes em engenharia mecânica, automobilística, eletrônicos e no setor químico e farmacêutico, elas estão se tornando grandes participantes nos setores de recursos naturais, energia, infraestrutura e tecnologia médica em toda a região, destacou Merkel.

A chanceler afirmou também que a Alemanha está muito interessada em avançar nos pactos comerciais da União Europeia com a América Latina e elogiou os recentes acordos de livre comércio selados entre os EUA, a Colômbia, o Peru e a América Central, que complementam os já existentes com o Chile e o México.

Além disso, recentemente a União Europeia e o Mercosul retomaram suas negociações comerciais. "A Alemanha está muito interessada em que isso avance em um ritmo forte. Nós queremos um acordo ambicioso que nos permita reduzir grandemente as atuais barreiras comerciais", afirmou Merkel.

Euro

A Europa precisa trabalhar mais proximamente para que o euro tenha sucesso e para a superação do teste mais duro para a região em décadas, afirmou a chanceler da Alemanha, Angela Merkel. Em seu discurso de Ano Novo gravado para o público alemão, Merkel prometeu que fará tudo em seu poder para fortalecer a moeda europeia.

"Hoje vocês podem colocar fé em mim que farei tudo para fortalecer o euro", disse Merkel, segundo uma transcrição do discurso. "Isso só será possível se a Europa aprender as lições dos erros do passado. Um deles é o de que a moeda única só pode ser bem sucedida se nós trabalharmos mais proximamente na Europa do que fizemos até agora", acrescentou a chanceler.

Merkel destacou que o caminho para superar a crise atual permanece "longo e não será sem algum revés", mas no fim a Europa vai "emergir mais forte". A zona do euro tem lutado há quase dois anos para resolver sua crise de dívida. Merkel é uma peça importante nas negociações entre os líderes europeus. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MERKELEUROPAAMÉRICA LATINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.