Lynne Sladky/AP
Lynne Sladky/AP

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

American Airlines e United anunciam mais de 30 mil demissões devido à pandemia

Número de passageiros nos aeroportos americanos caiu entre 60% e 70% em relação ao mesmo período de 2019

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de outubro de 2020 | 04h28

NOVA YORK - As companhias aéreas American Airlines e United anunciaram nesta quarta-feira, 30, que começarão a ordenar o corte de mais de 30 mil empregos, após o fracasso das negociações para estender a ajuda do governo americano ao setor aéreo, afetado pela pandemia.

Ambas as empresas assinalaram que poderão cancelar as demissões se os dirigentes republicanos e democratas chegarem a um acordo em Washington nos próximos dias.

A American Airlines indicou que começará a ordenar a demissão de 19 mil funcionários nesta quinta-feira. Já a United informou que cortará cerca de 13 mil empregos.

"Reconvocaremos os membros da equipe afetados" se os dirigentes chegarem a um acordo, afirmou o diretor executivo da American Airlines, Doug Parker, em carta dirigida aos funcionários, a qual a AFP teve acesso. A United fez o mesmo em mensagem aos colaboradores, também consultada pela AFP.

O tráfego aéreo, em queda brusca desde o começo da pandemia, está longe de retomar seu nível normal. O número de passageiros que passam pelo controle de segurança nos aeroportos americanos caiu entre 60% e 70% em relação ao mesmo período de 2019, segundo dados oficiais./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.