São Luis Shopping
São Luis Shopping

Americanas e BR Distribuidora fecham parceria de R$ 995 milhões para explorar lojas de conveniência

Acordo vale para lojas dentro e fora de postos de combustível, por meio das redes Local e BR Mania

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2021 | 09h51
Atualizado 26 de fevereiro de 2021 | 16h58

A Lojas Americanas e a BR Distribuidora firmaram parceria para exploração do negócio de lojas de pequeno varejo, dentro e fora de postos de combustível, por meio das redes Local e BR Mania. Elas formarão uma joint venture e dividirão a sociedade em 50% cada.

Em geral, as casas de análise viram o movimento como positivo para a Lojas Americanas. "(A parceria) deve criar valor para a companhia através de ganhos de escala, diluição de custos de logística e também aceleração da expansão desse formato, em locais de grande fluxo", escreveram os analistas Danniela Eiger, Thiago Suedt e Marco Nardini, da XP

 

Os analistas do Goldman Sachs foram além e viram na iniciativa uma oportunidade maior de capilaridade para a varejista. "Se a integração proposta de B2W e LAME (Lojas Americanas) for adiante, acreditamos que esta JV (joint venture) também possa oferecer oportunidades adicionais de ser alavancada para entregas de última milha e potenciais pontos de coleta", escreveram Bruno Amorim, Irma Sgarz e Osmar Camilo.

Para essa parceria foi considerado um valor de até R$ 995 milhões, que inclui o aporte da rede de franquias BR Mania e das lojas Local, além de um desembolso pela Americanas de até R$ 305 milhões. O pagamento seria feito na forma de um aporte na nova empresa de aproximadamente R$ 252 milhões e um pagamento de até R$ 53 milhões de parcela variável à BR Distribuidora, com base em metas de desempenho.

Para o consultor de varejo e bens de consumo Eugenio Foganholo, um ponto muito importante para entender a estratégia dessa nova sociedade é que, com a pandemia de covid-19, as pessoas passaram a circular menos e priorizar comércios do bairro. "Estar próximo do consumidor hoje, é essencial", diz.

Além disso, para a BR Distribuidora, é importante otimizar os espaços dos postos de gasolina. Assim, contar com a expertise de varejo da Lojas Americanas, que conhece mais sobre os produtos ideais para determinados pontos de venda e suas respectivas redes fornecedoras, faz diferença. "Dividir o negócio com alguém que tenha tecnologia e conhecimento de varejo é vantajoso, além de ser um movimento já apontado por outras companhias do ramo", diz.

Ainda do lado da BR Distribuidora, os analistas do Bradesco BBI escreveram que a parceria tem sentido estratégico. "Quantitativamente, o tamanho do negócio não é relevante para a BR Distribuidora. Porém, qualitativamente, a parceria é importante para o longo prazo, pois diversificará o portfólio da BR para torná-la um negócio mais sustentável para um futuro com menor consumo de combustíveis fósseis", escreveram Vicente Falanga e Gustavo Sadka.

Atualmente a Americanas tem 55 lojas de vizinhança no formato Local, com operação própria, e a BR Distribuidora tem aproximadamente 1.200 lojas no formato BR Mania, operadas por franqueados. A marca BR Mania será mantida nas lojas dos postos, enquanto as lojas fora de postos utilizarão a marca Local. O modelo de operação prevê tanto lojas franqueadas como operação própria dos pontos de venda. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.