Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Amil diz que desconhece critérios de pesquisa

A Associação Médica Brasileira (AMB) e a Associação Paulista de Medicina (APM) divulgaram hoje uma pesquisa, realizada pelo Instituto Datafolha, indicando os piores planos de saúde de cada Estado brasileiro. Em São Paulo, o plano eleito pelos médicos como o pior foi a Amil. A empresa divulgou nota em que diz que desconhece os critérios utilizados na pesquisa, estranha o resultado e diz que possui um bom relacionamento com a rede credenciada.Veja abaixo a íntegra da nota divulgada pela empresa.Em relação à pesquisa divulgada hoje sobre a avaliação dos Planos de Saúde, a Amil Assistência Médica Internacional esclarece que:Não teve acesso à metodologia e resultados desse estudo, mas, de qualquer forma, estranha suas conclusões, uma vez que mantém um bom relacionamento com a rede credenciada, que soma mais de 8.500 consultórios no país, investindo constantemente na atualização dos profissionais.Por outro lado, a satisfação de seus associados também foi confirmada através de pesquisa recente da Toledo & Associados que colocou a empresa em primeiro lugar na preferência dos paulistanos.Estudos como este podem apontar a necessidade de rediscutir o Sistema de Saúde no país ao demonstrar as dificuldades enfrentadas por todos os agentes que fazem parte desse processo. Essas dificuldades são enfrentadas por todos os países do mundo cujas sociedades tentam encontrar soluções para viabilizar o acesso à medicina. A Amil foi a primeira empresa de grande porte a assumir os 20% de reajuste de honorários reivindicados pela classe médica e proposto em junho pela ANS.Veja, nos links abaixo, matérias sobre a pesquisa completa divulgada hoje, além das respostas de outros planos de saúde.

Agencia Estado,

14 de junho de 2002 | 21h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.