finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Amorim defende entrada da Venezuela no Mercosul

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, voltou a defender a inclusão da Venezuela no Mercosul, que depende de aprovação no Congresso Nacional. Para o ministro, a entrada da Venezuela será boa tanto para o Mercosul como para a Venezuela e para a estabilização democrática da América do Sul. "Estamos confiantes de que a entrada da Venezuela no Mercosul será boa econômica e politicamente, pela estabilidade que produzirá na região. Será boa para o Mercosul, porque teremos uma vértebra maior para a integração de toda América do Sul, que passará da Patagônia ao Caribe. Será boa para a Venezuela, porque o convívio com as democracias do Mercosul ajudará consolidar ainda mais o esforço democrático da Venezuela", afirmou Amorim, que participou no Palácio do Planalto da comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra. Amorim lembrou que foi criado no Brasil um grupo de amigos da Venezuela que incentivou o presidente Hugo Chávez a realizar um referendo sobre a constituição. Ele afirmou também que os próprios opositores de Chávez reconhecem que não há opressão nem presos políticos na Venezuela. "A democracia assume as vezes várias facetas. Há muitos países que são tidos como democráticos, mas que tiveram governos que ficaram muito tempo no poder e adotaram outras práticas com as quais não concordamos", afirmou o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.