Amorim inicia negociação com governo boliviano

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, iniciou reunião com o chanceler da Bolívia, David Choquehuanca, por volta das 10h40 desta segunda-feira. Este é primeiro compromisso oficial da viagem, iniciada no último domingo, com o objetivo de tratar da normalização das relações bilaterais Brasil-Bolívia, depois dos conflitos gerados a partir do decreto que nacionalizou os setores de gás e petróleo. Já o encontro de Amorim com o presidente da Bolívia, Evo Morales, está marcado para o início da tarde desta segunda, no Palácio de Quemados.A idéia do governo brasileiro é insistir que o Brasil está aberto a uma maior cooperação com a Bolívia, tanto no desenvolvimento de outros setores produtivos como também na injeção de investimentos. Para isso, o chanceler brasileiro defenderá a idéia da necessidade de um ambiente de maior segurança jurídica para os investidores. "Queremos manter o nosso engajamento de longo prazo com a Bolívia. Não por generosidade ou por ideologia, mas por decisão de Estado, que vem de alguns governos anteriores, sobre a necessária ajuda ao desenvolvimento e à estabilidade da Bolívia", afirmou Amorim, durante o vôo de Brasília a La Paz, na manhã de ontem.Brasileiros Amorim tratará também a questão dos brasileiros proprietários de terras na Bolívia, que podem ser afetados na nova reforma agrária. Há duas situações diferentes: a dos produtores de soja brasileiros, que respondem por 60% das exportações do produtos, e a dos brasileiros que habitam a região do Pando, no norte do País, que são posseiros de terra. A maioria desses posseiros está em situação irregular. Amorim deve embarcar de volta a Brasília às 18 horas (19 horas em Brasília).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.