Amorim prega 'realismo' na negociação com Paraguai

Segundo ministro das Relações Exteriores, discussões sobre Itaipu terão que combinar justiça e realismo

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S. Paulo,

23 de abril de 2008 | 16h34

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, confirmou, nesta quarta-feira, 23, a intenção do governo brasileiro de dialogar com o presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, sobre a energia produzida pela usina hidrelétrica de Itaipu e afirmou: "Há boa vontade (do Brasil), há sentido de Justiça e, ao mesmo tempo, há realismo. Vamos ter que combinar todas as coisas."  Veja também:Itaipu, um gigante polêmico   Amorim fez as declarações em conversa com jornalistas no Palácio do Planalto, onde assiste à cerimônia de comemoração do 35º aniversário da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da qual participa o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Amorim voltou a afirmar que jamais falou em alterações no Tratado de Itaipu nem em elevação de tarifas. "Usei o termo 'preço' no sentido de compensação financeira por um serviço prestado, mas ainda não conversei com nenhuma autoridade paraguaia desde a vitória de Fernando Lugo".  Na segunda-feira, numa entrevista em Acra (Gana), Amorim disse que o objetivo das futuras negociações é saber como o Paraguai "pode obter uma remuneração adequada para a sua energia", sem que seja alterado o Tratado de Itaipu. Na ocasião, o ministro acrescentou: "Devemos fazer com que o Paraguai obtenha o máximo de benefício em função da sociedade que eles têm conosco em Itaipu." Nesta tarde, no Palácio do Planalto, o chanceler brasileiro comparou as relações entre Brasil e Paraguai a um relacionamento entre pessoas próximas: "A vida é assim. As pessoas querem o que os outros não podem oferecer, e a gente se encontra em algum lugar. Na relação internacional, como na relação entre as pessoas, todos ganham e todos cedem." Amorim disse que o futuro governo Lugo "tem compromisso com o povo paraguaio" e que, por outro lado, o governo brasileiro "não vai renegar a boa relação que teve com o governo Nicanor Duarte", atual presidente do Paraguai.

Tudo o que sabemos sobre:
ItaipuCelso Amorim

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.