Amorim reafirmou prioridade comercial na OMC

O chanceler Celso Amorim reafirmou hoje que a prioridade do Brasil nas relações comerciais é com a Organização Mundial do Comércio (OMC) e com os países em desenvolvimento. Ele comentou declarações do Secretário do Tesouro americano, John Snow, favoráveis à retomada das negociações de livre comércio na Alca, mas afirmou que "as palavras do Sr. Snow são verdadeiras na intenção, mas que se traduzam na prática", criticou. Ele lembrou que para o Congresso americano aprovar a zona de livre comércio da América Central (Cafta) houve muita dificuldade e a proposta só passou por dois votos na Câmara dos Deputados.Amorim disse que o poercentual de exportação da Cafta é pequeno e comparou: "imagina que com a produtividade brasileira e de outros países do Mercosul como será (a dificuldade para aprovação no Congresso)". O ministro declarou que é preciso "colocar a Alca novamente nos trilhos". No entanto, considera muito difícil negociar na Alca sem ter resolvido antes na OMC "qual será o grau de diminuição de proteção da agricultura". Ele avalia também que a administração americana terá mais facilidade de aprovação no Congresso e maior grau de concessões no fórum da OMC.Amorim abriu hoje o "Seminário Desenvolvimento Econômico com Equidade Social" do fórum de diálogo Índia, Brasil e África do Sul (Ibas).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.