Ampliação do Luz para Todos exigirá RS 6 bilhões mais

O aumento de 50% no alcance do programa Luz para Todos, dando acesso à energia elétrica a 15 milhões de pessoas até 2010, contra a meta anterior de 10 milhões até dezembro próximo, exigirá investimentos adicionais de R$ 6 bilhões. A informação foi dada hoje pelo novo diretor do programa, Hélio Morito, logo após ser empossado no cargo, no Ministério de Minas e Energia.Tais recursos se somarão aos R$ 12,7 bilhões antes previstos, dos quais R$ 7,8 bilhões, equivalentes a 61,4%, são financiados pelo governo federal com recursos de dois fundos formados pela contribuição paga pelos consumidores nas contas de luz, o CDE e RGR. Os governos estaduais contribuem com R$ 1,4 bilhão e os R$ 1,6 bilhão restantes são bancados pelas concessionárias de energia elétrica e cooperativas de eletrificação rural. O novo diretor do programa não detalhou a divisão dos recursos adicionais.Com a ampliação, o Luz para Todos beneficiará mais 1 milhão de residências, com a meta se elevando de 2 milhões até dezembro para 3 milhões de domicílios em 2010. Morito explicou que a extensão do programa se deveu, entre outras razões, ao retorno de muitas pessoas ao campo e ao fato de ter sido montado sobre dados do IBGE de 2000, o que levou ao crescimento da quantidade de pessoas sem acesso à energia elétrica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.