Ampliar relação Brasil-Canadá é prioridade, diz cônsul

O cônsul-geral do Canadá em São Paulo, Stéphane Larue, disse nesta terça-feira que ampliar a relação comercial e de investimentos com o Brasil é uma das prioridades do país, atualmente. Apesar de o comércio bilateral ter somado pouco mais de US$ 6 bilhões em 2012, Larue citou que os investimentos diretos realizados tanto pelo Canadá como pelo Brasil têm crescido nos últimos anos. "Temos de aproveitar o crescimento econômico do Brasil, fazendo os investimentos canadenses crescerem por aqui e abrindo as portas para investidores brasileiros", afirmou, durante evento promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC), em São Paulo.

GUILHERME WALTENBERG, Agencia Estado

18 de junho de 2013 | 13h41

De acordo com ele, empresas brasileiras investiram US$ 31 bilhões no Canadá em 2012, capitaneados por empresas como Vale, Votorantim e Ambev. Do outro lado, os canadenses investiram US$ 9,5 bilhões no Brasil no mesmo período, liderados especialmente por fundos de investimento institucional e indústrias de peças e componentes.

"Nós temos um novo fenômeno ocorrendo no Canadá, que são os fundos institucionais, e eles querem investir em outros locais. Os fundos de aposentadoria de Quebec, por exemplo, no ano passado investiram em um shopping no Rio de Janeiro", afirmou. Apesar da perspectiva positiva da ampliação de negócios e investimentos mútuos entre Brasil e Canadá, Larue afirmou não ter estimativas de quanto essas relações devem aumentar nos próximos anos. "Não temos objetivo fixo de aumento do intercâmbio", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
InvestimentosBrasilCanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.