Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Anac: Ajuste para leilão de aeroportos amplia competição

O diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, disse nesta quarta-feira, 16, que os ajustes feitos pelo órgão regulador para o leilão dos aeroportos de Galeão e Confins têm o objetivo de aumentar a competição entre os consórcios pelos dois aeroportos.

ANNE WARTH, Agencia Estado

16 de outubro de 2013 | 14h13

Como as regras da licitação não permitem que um mesmo consórcio fique com os dois aeroportos, havia receio por parte de alguns grupos de que, se um deles fosse o único a fazer lance para Confins, automaticamente arrematasse o aeroporto e não pudesse mais disputar Galeão.

Nesta semana, a Anac publicou norma segundo a qual o consórcio só levará a concessão do aeroporto para o qual fizer a maior proposta em termos de valores absolutos. Como a outorga mínima para Galeão, de R$ 4,828 bilhões, já é superior à de Confins, de R$ 1,096 bilhão, se um mesmo consórcio apresentar a melhor proposta para os dois aeroportos, ele só arremataria Galeão. O consórcio poderá ainda manifestar ainda qual aeroporto prefere.

"Nós queremos que todos deem lances para os dois", afirmou Guaranys. "E essa alteração visa justamente incentivar", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
concessõesaeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.