Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Anac aprova regra que favorece Azul na redistribuição dos horários da Avianca em Congonhas

A decisão flexibiliza parâmetros em uma ação que beneficia a Azul, que poderá disputar em condições mais favoráveis até 41 horários

Fernando Nakagawa e Fabiana Holtz, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2019 | 18h42

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou em reunião extraordinária nesta tarde uma nova regra temporária para a redistribuição dos horários de pouso e decolagem que eram da Avianca no aeroporto de Congonhas.  A decisão flexibiliza parâmetros em uma ação que beneficia a Azul, que poderá disputar em condições mais favoráveis até 41 horários que eram da aérea que deixou de operar em maio.  

A diretoria aprovou por unanimidade o voto do diretor Juliano Noman que flexibilizou o conceito de empresa "entrante" no aeroporto paulistano. Antes, empresas que operavam até cinco horários de pouso e decolagem por dia eram consideradas novas e tinha privilégio na redistribuição dos chamados slots do aeroporto.

Agora, o limite foi multiplicado por dez, para 54 slots por dia.  O efeito prático da regra é que a Azul - que tem atualmente 26 slots em Congonhas - passará a seguir regras mais favoráveis na partilha dos horários em comparação às concorrentes Latam, que 236 horários diários, e Gol, com 234 slots por dia.

Segundo o voto, 100% dos slots da Avianca serão distribuídos sob a regra temporária.  A decisão aprovada diz que apenas esses 41 horários que eram da Avianca serão redistribuídos temporariamente pela nova regra. O diretor Juliano Noman pediu ainda que as regras sejam revistas em até um ano para que, então, a redistribuição possa ser feita de maneira permanente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.