Anac considera tranqüilo 1º dia da 2ª etapa de plano emergencial

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) considerou "tranqüilo", apesar de alguns problemas registrados, o primeiro dia da segunda etapa do plano de emergência para atender passageiros da Varig em razão de cancelamentos de vôos. O plano, que consiste no endosso de bilhetes da Varig por outras companhias, foi novamente acionado nesta quinta-feira em conseqüência da decisão da companhia aérea de suspender 21 das 46 rotas nacionais e internacionais até a próxima segunda-feira.Em nota divulgada no início da noite, a Anac relatou que no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos (SP), por exemplo, foram registradas 30 reclamações (verbais e por escrito) na representação da agência por passageiros da Varig que tiveram problemas para embarcar em vôos de outras companhias. "Segundo os fiscais da Anac no aeroporto, os usuários foram atendidos ao longo do dia", afirma a nota.Em Nova York, uma das rotas que continuará a ser operada pela Varig, a Anac disse que houve atraso no embarque de 50 clientes da empresa que deveriam voltar ao Brasil. Desse total, a Anac disse que 15 passageiros tiveram a volta garantida pela TAM, outros oito usuários seriam trazidos por outras companhias ao longo da noite de quarta-feira e os demais 27 que restaram "foram direcionados para hotéis e deverão voltar sexta-feira para o Brasil". Ainda foram registrados problemas de reembarque no México de 23 usuários Varig e dois desses só voltarão na sexta-feira.De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), que administra os 66 aeroportos brasileiros, a Varig cancelou hoje de 0h até a tarde 62% dos 275 vôos internacionais e domésticos programados para o período. Entre os destinos nacionais, dos 234 vôos que estavam previstos, 149 foram cancelados o que representou uma taxa de cancelamento de 63,6%. Dos 41 vôos internacionais que deveriam ser feitos, 21 foram cancelados, ou seja, 51,2%. Das rotas suspensas pela Varig até a próxima segunda-feira, quando será reavaliada essa decisão, nove são para o exterior: Paris, Milão, Madri, Munique, Los Angeles, Cidade do México, Montevidéu, Assunção e Bogotá. Foram mantidas as viagens para Nova York, Miami, Frankfurt, Londres, Buenos Aires, Lima, Santa Cruz de La Sierra, Santiago, Caracas, Aruba e Copenhague.A Anac ainda informou que essa segunda etapa do plano de emergência terá a coordenação das ações sediada no Rio de Janeiro. Sobre a decisão de hoje do juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial do Rio, de enviar o detalhamento da proposta de compra da Varig pela VarigLog ao Ministério Público e ao administrador judicial da empresa, a Deloitte, para análise, a Anac preferiu não fazer comentários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.