Anac esclarece que venda da VarigLog para Volo depende de documentação

O presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, esclareceu hoje que o órgão não rejeitou a venda da VarigLog para a Volo do Brasil. O executivo explicou que a operação ainda tem algumas pendências. O fato é que a Volo ainda não entregou toda a documentação necessária para se cumprir os trâmites legais do processo. Hoje, Zuanazzi esteve reunido com representantes da Volo, que se comprometeram a encaminhar os documentos nos próximos dias. A Anac fixou um prazo de 15 dias, mas, que pode ser postergado. Para completar o processo, a Volo precisa entregar uma certidão da Justiça Federal referente a débitos com o INSS. O veto da Anac deve afetar o rumo das negociações em torno da Varig, já que a VarigLog havia feito uma proposta para assumir o controle da companhia aérea. Contudo, Zuanazzi descartou que a oferta da Volo do Brasil pela VarigLog quebre o limite de capital externo permitido pelo governo para se operar no mercado de aviação brasileiro. Esse era um dos questionamentos do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea). Com essa postura, o executivo indica que uma oferta da VarigLog pela Varig, atualmente sob processo de recuperação judicial, também não iria encontrar barreiras para ser aprovada pelo órgão. Zuanazzi lembra ainda que, apesar da Volo do Brasil ter em seu grupo de controle o fundo americano Matlin Patterson, a empresa tem mais de 80% de seu capital formado por investidores nacionais, como determina a legislação brasileira.

Agencia Estado,

19 Abril 2006 | 17h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.