Anac posterga pagamento de outorga de seis aeroportos

Anac posterga pagamento de outorga de seis aeroportos

Pagamentos de maio serão feitos em dezembro; foram beneficiados os aeroportos de Confins (MG), Galeão (RJ), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS)

Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2020 | 20h04

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou hoje,28, que vai postergar o pagamento de outorgas (fixas e variáveis) de seis aeroportos do País: Confins (MG), Galeão (RJ), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS). Outorgas com vencimento em maio poderão ser quitadas em 18 de dezembro.

Em nota, a Anac afirmou que a prorrogação dos pagamentos – um pleito das concessionárias – tem o objetivo de mitigar dificuldades financeiras de curto prazo, aliviando o fluxo de caixa das concessionárias de aeroportos. No total, o governo vai deixar de receber neste momento R$ 179,2 milhões em outorgas dos seis aeroportos. A decisão atende à Medida Provisória 925, que traz medidas emergenciais para o setor aéreo brasileiro. 

Com a pandemia do coronavírus, o movimento nos aeroportos caiu mais de 90%. Além do faturamento diretamente ligado aos voos, os aeroportos também perderam  receita adicionais com o comércio dentro dos terminais. Para piorar, alguns perderam também a receita de aluguel das lojas. 

Reequilíbrio de contrato

No comunicado de ontem, a Anac também anunciou a aprovação do pedido de revisão extraordinária da Concessionária Inframérica, que administra o Aeroporto de Brasília. O processo se refere a um pedido de reequilíbrio econômico financeiro por causa de uma regulamentação da Receita Federal que culminou em desembolsos com novos funcionários. O valor do reequilíbrio para todo o período da concessão, até 2037, é de R$ 4,13 milhões.

Outros dois aeroportos, Confins e Galeão, já tiveram pedido de revisão extraordinária acatados pela agência pelo mesmo motivo – implantação de serviços de alfandegamento da Receita –, com reequilíbrios nos valores de R$ 5,8 milhões e R$ 16,5 milhões, respectivamente. Ao todo, a Anac já acatou oito pedidos de reequilíbrios, que somam R$ 371,18 milhões ressarcidos a concessionárias de aeroportos. Essas revisões serão feitas por meio de desconto no valor de outorga. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.