Anac: tráfegos doméstico e internacional caem em maio

O movimento de passageiros nos voos domésticos caiu 5,47% em maio deste ano ante o mesmo mês do ano passado. No acumulado dos cinco primeiros meses de 2009, no entanto, o tráfego aéreo doméstico acumula uma alta de 2%, segundo dados divulgados hoje pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

MICHELLY TEIXEIRA, Agencia Estado

16 de junho de 2009 | 11h48

A taxa de ocupação nos voos domésticos recuou para 59,18% em maio de 2009, ante taxa de 70,26% registrada em maio de 2008. Entre janeiro e maio deste ano, o indicador atingiu taxa de ocupação de 62,69%, também inferior à taxa de 67,54% registrada em igual período do ano passado.

Entre as companhias aéreas, a TAM manteve a liderança no mercado doméstico com participação de 44,9% em maio deste ano. O porcentual, no entanto, é menor que o registrado em igual mês do ano passado, de 49,28%.

A Gol registrou participação de 42,02% no quinto mês de 2009, ante fatia de 45,24% um ano antes. A Azul Linhas Aéreas, que iniciou atividades em dezembro de 2008, aparece na terceira colocação, com um fatia de 4,16% do mercado. Com 3,99% de participação, a WebJet aparece na quarta posição. A quinta colocação ficou com a OceanAir, com 2,88% do total.

Internacional

Nos voos internacionais operados por companhias brasileiras, o movimento de passageiros caiu 5,29% em maio de 2009, comparativamente a maio de 2008, informou a Anac. Nesse segmento, a taxa de ocupação caiu para 62,35% no mês passado, ante taxa de 68,31% registrada um ano antes.

No acumulado de janeiro a maio deste ano, o fluxo em voos de companhias brasileiras para fora do Brasil cedeu 7,08%, sendo que a taxa de ocupação ficou em 66,84%.

Entre as empresas aéreas, a TAM lidera a participação de mercado em voos internacionais com 86,84%, seguida pelo grupo Gol/Varig, que registrou em maio uma fatia de 13,09%. Um ano antes, a oferta de voos internacionais estava assim distribuída: 74,25% para a TAM e 25,43% para a Gol.

Tudo o que sabemos sobre:
aviaçãoAnactráfego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.