Analfabetismo permanece inalterado no País em 2008, diz Pnad

País possuía 14,2 milhões de analfabetos no ano passado e disparidades regionais permaneciam, revela IBGE

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

18 de setembro de 2009 | 10h09

A taxa de analfabetismo no País permaneceu praticamente inalterada em 2008, em relação ao ano anterior. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), havia cerca de 14,2 milhões de analfabetos de 15 anos ou mais de idade no Brasil em 2008, quando a taxa de analfabetismo foi estimada em 10,0%. Em 2007, a taxa foi de 10,1%. O levantamento foi divulgado nesta sexta-feira, 18, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

 

Veja também:

linkMercado de Trabalho tem desempenho recorde no pré-crise

linkTrabalho infantil recua, mas 4,5 mi de crianças ainda trabalham

linkAcesso à web aumenta, mas desigualdade regional permanece

linkNúmero de contribuintes da Previdência cresce 5,9% em 2008

linkRenda em Brasília é mais que o dobro da nacional, aponta IBGE

 

As disparidades regionais, no que diz respeito ao analfabetismo, não diminuíram em 2008, quando a região Nordeste apresentava uma taxa de 19,4%, quase o dobro da taxa nacional. Porém, segundo destaca o documento de divulgação da Pnad, o Nordeste foi "a única região a apresentar queda expressiva" na taxa de analfabetismo no ano passado, em relação a 2007, quando chegava a 19,9%.

 

Já a taxa de analfabetismo funcional, representada pela proporção de pessoas de 15 anos ou mais de idade com menos de quatro anos de estudos completos, foi estimada em 21,0% em 2008, ante 21,8 % em 2007. No ano passado, ainda existiam 30 milhões de analfabetos funcionais no Brasil.

 

Entenda a Pnad

 

A Pnad é realizada anualmente e investiga os temas de habitação, rendimento e trabalho, associados a aspectos demográficos e educacionais. A pesquisa tem seus primórdios em 1967, quando foi iniciada apenas na área do Rio de Janeiro, e na atualidade é realizada nacionalmente, por meio de uma amostra de domicílios. No levantamento divulgado nesta sexta-feira, 18, foram pesquisadas 391.868 pessoas e 150.591 unidades domiciliares, distribuídas por todo o País.

Tudo o que sabemos sobre:
analfabetismoPnad2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.