Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

ANÁLISE-Apesar de baixas, soja terá área recorde na Argentina

A soja continua no auge da suapopularidade entre os agricultores argentinos, que devemdedicar uma área recorde à cultura neste ano, apesar da quedana cotação internacional do produto. A Argentina é o terceiro maior exportador mundial de soja eo maior fornecedor global de óleo e farelo. A área cultivadamais do que duplicou na última década, e a atual safra podesuperar as 50 milhões de toneladas pela primeira vez nahistória. "Os preços da soja não estão tão bons quanto há um mês, masmesmo assim cultivar milho e outros produtos é muito mais caro,mais vulnerável a secas e mais arriscado", disse RicardoBaccarin, analista da consultoria Panagricola, que prevê umaumento de 7 por cento na área cultivada com soja neste ano,atingindo 17,8 milhões de hectares. Neste ano, para tentar conter a área dedicada a cultivos deexportação, o governo adotou um novo imposto sobre a soja, aomesmo tempo em que reduziu a carga tributária sobre o milho e otrigo, que têm mais impacto sobre a inflação. A nova política tributária, porém, acabou sendo canceladaapós quatro meses de protestos ruralistas. A incerteza sobre a política agrícola do governo acabajustamente valorizando esse caráter "seguro" da soja, emdetrimento do milho e do trigo, que o governo esperavaincentivar. Em muitas regiões, a seca fez os fazendeiros desistirem desemear trigo, deixando os campos vagos até o início datemporada de plantio da soja, em outubro. "Há milhões de hectares a menos com trigo, e grande partedisso será usada para a soja", disse Pablo Adreani, daconsultoria Agripac. Outros reduziram os planos de plantio de milho devido àalta no preço dos fertilizantes -- outra vantagem da soja, queexige menos desse produto. A Argentina colheu 46,5 milhões de toneladas de soja nasafra 2007/2008, em 16,6 milhões de hectares. Na safraanterior, com o clima favorável, a produção foi recorde, de47,5 milhões de toneladas. Tudo indica que a próxima safrachegue a 52 milhões de toneladas. "[A soja] representa o menor gasto por hectare, é a apostamais segura, porque os agricultores sabem como lidar com ela eé menos dependente do clima bom do que outros cultivos", disseRodolfo Rossi, presidente da Acsoja, entidade do setor. Eleestima a próxima safra em 49 milhões de toneladas. Nesta semana, o Departamento de Agricultura dos EUA elevousua previsão da produção argentina de 48 para 49,5 milhões detoneladas.

MAXIMILIAN HEATH, REUTERS

13 de agosto de 2008 | 19h02

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSOJAANALISE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.