finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

ANÁLISE-Chuva e seca devem reduzir safra de trigo na Europa

As fortes chuvas no verão e a seca daprimavera devem reduzir as safras de trigo este ano nosprincipais países produtores da Europa ocidental, disseramanalistas e traders na quinta-feira. "Não é um desastre, mas os grandes produtores,especialmente a França e a Alemanha, parecem estar caminhandopara safras menores", afirmou um analista alemão. "Os estoques na nova temporada serão suficientes, mas nãoabundantes. Parece que a Europa não vai ter uma grande safra." Os preços do trigo na Europa atingiram níveis recordes estemês. Os futuros de trigo da França para entrega em novembrochegaram a um novo recorde na quinta-feira, a 227,00 euros. Nofim de maio, o preço era de 161 euros. "A elevação nos preços do trigo está sendo causada pelapreocupação com o cenário de um estoque internacionalapertado", disse um trader. Na França, maior produtora de trigo da Europa, as condiçõesclimáticas desfavoráveis, desde a severa estiagem em abril atéas fortes chuvas de junho, reduziram as perspectivas para otamanho e a qualidade da safra. O Ministério da Agricultura da França reduziu suaestimativa para a safra de trigo soft para 32,9 milhões detonelada, contra 34,7 milhões no mês passado. Há quem esteja mais pessimista. "As últimas informações confirmaram nossa estimativa, feitana semana passada, de 32,3 milhões de toneladas", disse MichelPortier, analista da Agritel, referindo-se à estimativa maisbaixa divulgada este ano. Analistas franceses também já manifestaram preocupação coma qualidade, especialmente com a redução no peso específico(peso hectolitro) para abaixo do padrão de 76 kg/hectolitro, oque afetaria a produção de farinha. ALEMANHA E GRÃ-BRETANHA Na Alemanha, segundo maior produtor de trigo da Europa, aschuvas, que aconteceram bem no início da colheita, provocarampreocupação com a qualidade. Analistas afirmaram acreditar quea safra de trigo fique pelo menos 10 por cento abaixo dos 22,3milhões de toneladas de 2006. As estimativas variavam entre 19,8 milhões e 20,1 milhõesde toneladas, embora a maioria preveja uma safra de menos de 20milhões de toneladas. "A colheita do trigo deve ser concluída esta semana, que otempo melhorou", disse um analista alemão. "Parece quase certoque uma proporção maior da safra só chegue aos padrões pararação animal, mas os danos à qualidade variam." Entre as áreas onde a colheita ainda tem de acontecer estãoduas das maiores regiões produtoras, a Baixa Saxônia eSchleswig-Holstein, no norte da Alemanha, zonasimportantíssimas para as exportações alemãs. Na Grã-Bretanha, as perspectivas também não são boas, e aprevisão é de uma safra menor que os 14,7 milhões de toneladasdo ano passado, com danos à qualidade por causa das forteschuvas do verão. Observadores afirmaram que a produção caiu cerca de 10 porcento em certas áreas, uma tendência que, se persistir norestante da colheita, pode fazer com que a safra fique abaixodos 14 milhões de toneladas, apesar do aumento de 2 por centonas plantações este ano. Importantes participantes do mercado ainda não divulgaramprevisões detalhadas. "A produção deve diminuir para muitosagricultores, depois das condições de estiagem e depois deumidade desde a primavera", disse a NFU, associação dosagricultores britânicos. A Itália, um dos maiores compradores de grãos da Europa,que supre cerca de metade de suas necessidades de grãos comimportações, provavelmente terá de importar mais grãos de altaqualidade, porque a qualidade da safra doméstica foi afetadapelas condições climáticas desfavoráveis, disseramobservadores. A safra de trigo soft da Itália ficou quase inalterada esteano, em 3,2 milhões de toneladas, segundo a organização deagricultores Coldiretti e o centro de pesquisas Ismea, mas onível de qualidade ainda não tinha sido esclarecido. (Reportagem de Michael Hogan em Hamburgo, Valerie Parent emParis, Nigel Hunt em Londres e Svetlana Kovalyova em Milão)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.