André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Análise: 'Autonomia do BC é relevante porque isola a instituição de pressões políticas espúrias'

Autonomia do Banco Central é relevante principalmente porque isola a Instituição de pressões políticas espúrias que podem desvirtuar a execução da política monetária em favor de interesses políticos eleitorais

Gustavo Loyola*, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2021 | 17h52

A aprovação do projeto de autonomia do Banco Central é um avanço institucional relevante e que culmina o processo de fortalecimento da instituição que começou no final dos anos 1980, quando o BC deixou de exercer funções de fomento e foi extinta a conta movimento, que era um cheque em branco para a emissão monetária.

A autonomia do Banco Central é relevante principalmente porque isola a Instituição de pressões políticas espúrias que podem desvirtuar a execução da política monetária em favor de interesses políticos eleitorais. Como assinalou Keynes, a inflação é um imposto sobre os mais pobres, corroendo sem dó seus rendimentos e cabe ao Banco Central defender justamente o interesse maior da sociedade que é a estabilidade do poder de compra da moeda.

Os detratores da autonomia do BC apontam o risco de um déficit democrático, que derivaria do fato de seus dirigentes não serem eleitos pelo povo. Mas tal risco não existe quando o mandato do BC é claro e suas ações são transparentes para o parlamento e para a sociedade, como é próprio nos regimes democráticos. 

*GUSTAVO LOYOLA É EX-PRESIDENTE DO BANCO CENTRAL E SÓCIO DA TENDÊNCIAS CONSULTORIA INTEGRADA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.