Analistas apostam no mercado de leilões

O aquecimento da economia brasileira e a gradativa queda de juros deverão impulsionar ainda mais o mercado de leilões em 2001. De acordo com alguns dos mais antigos leiloeiros de São Paulo, este ano já marcou uma forte retomada na atividade, numa tendência que deve se consolidar nos próximos meses. "Este ano registramos crescimento de 20%, mas já projetamos 30% para 2001 ", afirma o leiloeiro Luiz Fernando de Abreu Sodré Santoro. Além do aquecimento da economia nacional, Santoro acredita que a Internet dará ainda mais fôlego aos leilões. "Um público enorme acessa nosso site e recebe informações sobre como participar dos próximos pregões", ressalta.Com a queda dos juros e o esperado aumento do consumo, as primeiras áreas a serem afetadas positivamente devem ser as de pregões de veículos e de imóveis. "Com mais crédito no mercado, é natural que possamos fazer mais negócios. Além do que as pessoas estão aprendendo que o leilão é uma venda transparente, rápida e segura", explica o presidente do Sindicato dos Leiloeiros do Estado de São Paulo, Mauro Zukerman.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.