Analistas argentinos questionam regra para entrada de capital

Analistas argentinos questionam a eficácia das medidas de restrições à entrada dos capitais especulativos no país. A opinião geral é de que a medida não é condizente com a situação atual da Argentina. Segundo o analista da Cima Investiments, Andrés Azicri, estas medidas podem ser adotadas quando há entrada de capital especulativo e de longo prazo, ao mesmo tempo. De acordo com ele, neste momento, só entra um tipo de capital no país, o especulativo. ?É uma situação que anula a opção de ser seletivo e escolher o melhor fluxo?. O analista ressalta que esses recursos são necessários para aumentar os preços dos ativos financeiros que, indiretamente, também fazem que os projetos da economia real sejam mais viáveis. "Não considero que a invasão de capitais seja um problema para a Argentina, neste momento, e por isso mesmo, creio que as restrições serão inócuas", opinou o analista Federico Thomsen. No mesmo sentido, o presidente da Hope Funds, Enrique Blaksley , afirmou que "é muito complicado diferenciar de forma correta o motivo da entrada dos fundos ao país porque os investidores encontram e desenvolvem mecanismos para eludir as restrições".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.