Analistas avaliam ações do Banespa

Ontem, além da alta expressiva, as ações do Banespa ocuparam a quarta posição no ranking dos papéis mais negociados em um dia que a valorização da Bovespa foi de 0,34%. Quem comprou as ações do banco no final do mês passado pode comemorar: os ganhos foram de 32,46% para as ordinárias (ON, com direito a voto) e de 23,26% para as preferenciais (PN, sem direito a voto). No mesmo período, o Ibovespa - que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa - registrou valorização de 5,83%.A alta não deve, segundo analistas, motivar novas compras e o sobe e desce dos preços vai continuar. "Sempre que uma liminar impede a venda, o papel cai, e quando a liminar é cassada, ele sobe", disse um operador. Ontem mesmo, as ações preferenciais chegaram a subir 7,5% e as ordinárias 12,93%. Mas os preços de fechamento foram menores. O mercado ficou decepcionado porque o novo cronograma de venda não foi divulgado. Analistas questionam ganhos dos papéis no curto prazo"O Banespa teve pouca transparência nos últimos anos e ninguém sabe quanto as ações valem", comenta o analista da corretora Fator Doria Atherino, Paschoal Paione. Paione destaca que os analistas pararam de acompanhar de perto as ações do Banespa desde que ele deixou de publicar as demonstrações financeiras e sofreu intervenção do BC em 1994. O analista do banco SBC, Bruno Pereira, concorda que a compra das ações do Banespa é um risco. Ele destaca que a valorização de ontem pode ser justificada pela retomada do processo de venda, mas ele pode ser revertido. O superintendente de renda variável do Banco Cidade, Thomas Taterka, concorda, e desaconselha aos clientes a compra das ações do Banespa. "O papel não deve deixar de ser alvo de especulação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.