Analistas consultados pelo BC têm visão divergente sobre cenário inflacionário

Ata do Copom explica que parte dos analistas percebe um cenário benigno, enquanto outra parcela mostra ceticismo e defende a elevação do juro 

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

28 de outubro de 2010 | 09h23

No parágrafo 26 da ata da reunião de outubro do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta quinta-feira, 27, os diretores do Banco Central reconhecem que tem ocorrido uma divisão entre os economistas quanto à avaliação do cenário inflacionário. "Evidências a esse respeito se manifestam, por exemplo, no caráter bimodal da visão dos analistas consultados pelo Banco Central", cita o documento.

O texto explica que "uma parte (dos analistas) percebe um cenário inflacionário benigno, no qual a taxa Selic permaneceria estável no horizonte relevante; ao mesmo tempo que outra parcela mostra ceticismo e advoga elevação da taxa básica".

Ainda nesse trecho da ata, os membros do Copom reafirmam que, para o BC, os riscos "restantes para a consolidação de um cenário inflacionário benigno se circunscrevem ao âmbito interno". Mas observam que há "sinais de que a economia tem se deslocado para uma trajetória mais condizente com o equilíbrio de longo prazo e, assim, os efeitos das pressões de demanda e do elevado nível de utilização dos fatores sobre o balanço de riscos para inflação tendem a arrefecer".

 
Tudo o que sabemos sobre:
Banco Centralinflaçãoatajuroselic

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.