Analistas recomendam cautela na compra de ações da BM&F

Segundo especialistas, a melhor opção é comprar os papéis da Bolsa aos poucos, e não tudo nesta sexta

Nathália Ferreira e Yolanda Fordelone, da Agência Estado,

30 de novembro de 2007 | 16h40

A procura para entrar na oferta inicial da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) foi tanta que os investidores individuais não puderam ser atendidos no valor mínimo e ficaram com até R$ 1.820. Para completar o lote de pelo menos R$ 5 mil, muitos investidores resolveram comprar mais ações no mercado nesta sexta-feira, 30, dia da estréia.  Mas especialistas alertam que esta sexta pode não ser o melhor dia para comprar o total de ações que o investidor pretende ter em carteira. O ideal, segundo eles, é que o investidor separe o volume de recursos que pretende investir na BM&F e compre as ações aos poucos, nas próximas semanas. A sugestão é que um terço da compra seja feita ainda neste sexta e o restante deve esperar para dias de baixa das ações.  Além disso, eles também sugerem que o investidor compre o suficiente para completar o lote de 100 papéis, desde que não ultrapasse 20% do capital destinado a investimentos. "A ação abriu com alta muito forte e está se mantendo perto do nível de 25% de alta. Com isso, fica difícil ter um parâmetro de qual preço pode ser bom para comprar", explica o consultor da Método Investimentos, Rui Araújo. O sócio da TAG Investimentos, Marcelo Pereira, completa que "o dia da estréia está bastante complicado porque todos os investidores estão pensando em ganhar em um dia só".  As ações da BM&F chegaram a ficar em leilão por mais de uma hora - procedimento que a Bovespa utiliza quando o excesso de ordens pode distorcer o preço. No começo da tarde, o número de negócios com as ações superava 35 mil, com volume acima de R$ 1,6 bilhão. A valorização estava em 26,7%, aos R$ 25,35. Diante dessa volatilidade, especialistas recomendam muita cautela para quem quiser comprar nesta sexta. Rateio Em fóruns espalhados por sites de relacionamentos na internet, investidores de varejo reclamavam que o rateio havia resultado em um investimento bem menor do que o imaginado. Alguns se prepararam para comprar mais de R$ 10 mil e tiveram que se contentar com pouco. Na quarta-feira, eles já haviam se surpreendido com a elevação do preço da ação, para R$ 20. Empolgados com a possibilidade de valorização forte das ações, muitos investidores se preparam para comprar mais papéis hoje, na estréia. Mas os especialistas só recomendam a compra das ações para quem puder esperar pelo menos um ano para vender, já que no curto prazo a volatilidade será grande, o que torna muito arriscado para quem pensa em comprar e vender logo. "O investidor tem que ter em mente que só hoje as ações já subiram mais de 25%", alerta o sócio da TAG Investimentos. A recomendação segue o exemplo do desempenho da Bovespa Holding. O papel subiu 52% na estréia, praticamente a mesma valorização registrada desde o IPO até esta sexta. "Os papéis são negociados na mesma faixa de preço da abertura, após terem tido a alta expressiva", explica o estrategista em ações da consultoria Futura Investimentos, Adriano Maia Moreno.

Tudo o que sabemos sobre:
BM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.