Analistas recomendam Coteminas e Santista

As perspectivas de aquecimento da economia interna estão balizando as recomendações dos analistas de mercado. Nesse contexto, um dos destaques é o setor têxtil. Segundo Basílio Ramalho, analista do Unibanco, o crescimento interno fundamentado no aumento do crédito deve começar a se refletir no setores de bens de consumo não duráveis no final deste ano e no próximo. Com isso, as ações de Coteminas e Santista Têxtil estão recebendo recomendações de compra dos especialistas.Para Ramalho, o mercado externo também está promissor, em função da desvalorização cambial, contribuindo para as recomendações dos analistas. As empresas que sobreviveram à abertura do mercado nacional estão mais preparadas tecnologicamente, avalia. Após três anos de déficit na balança do setor, é esperado um superávit para 2000. Até agosto, as vendas das indústrias têxteis para outros países somaram R$ 804,85 milhões, apontando um acréscimo de 26,3% em relação a igual período do ano anterior, segundo dados da Associação Brasileira de Indústria Têxtil (ABIT).A analista da Fama Investimentos, Fernanda Assis, acrescentou que o aumento na produção interna de algodão, estimado em 32%, vislumbra uma possível queda de preços da matéria-prima, que representa 45% do custo dos produtos têxteis. Sendo assim, disse, há espaço para que as empresas melhorem as suas margens de lucro. OportunidadesO analista do Unibanco está recomendando a compra das ações da Coteminas. Nas projeções de Ramalho, elas oferecem uma perspectiva de ganho de aproximadamente 47% dentro dos próximos 12 meses, em função de um preço-alvo estabelecido em R$ 221,00. Ele ressaltou que a empresa possui diversas possibilidades de crescimento, tanto no mercado doméstico, como internacional. A estratégia da empresa está orientada para agregar valor aos seus produtos. Ramalho também está salientando que a Coteminas apresenta um endividamento mínimo, dando flexibilidade para crescer. Segundo ele, a empresa, somente com investimentos em máquinas, pode elevar sua produção em 50% nos próximos três anos. De acordo com as expectativas do analista, a empresa deve apresentar um crescimento de 48,5% no seu faturamento líquido, chegando a R$ 670 milhões no final deste ano. No ano passado, a receita líquida foi de R$ 450,670 milhões.A analista da Fama acredita que a Santista Têxtil oferece o maior potencial. Ele está aconselhando a compra dos papéis da empresa, projetando um preço-alvo de R$ 346,66. Esse valor representa a possibilidade de valorização de 140,73%. Para Fernanda, a empresa deve crescer aproveitando-se também das oportunidades do mercado externo. Segundo ela, a presença da Santista na Argentina e no Chile, que responde atualmente por aproximadamente 30% do faturamento, deve facilitar a expansão em outros países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.