Analistas recomendam setor de alimentos

O analista do ABN Amro Bank, Alexandre Póvoa, confirma que o preço das ações do setor de alimentos teve uma queda expressiva no primeiro semestre em decorrência da queda do lucro líquido. "Os preços das ações da Sadia e da Perdigão caíram mais de 30%. Foi tão ruim, que acho que pior já passou", avalia. Os preços da matéria prima subiram, e as empresas não conseguiram negociar uma boa margem de compra.O aumento dos combustíveis também causou impacto negativo. Póvoa acha que a situação deva melhorar no segundo semestre, com o recuo dos preços das matérias-primas. "A performance financeira das empresas deve ter uma recuperação e o desempenho em bolsa deve ser melhor", aposta. O analista considera que a principal recomendação para o investidor recai sobre as ações da Perdigão, que devem ter uma recuperação expressiva.Estratégia mais agressivaO analista de consumo do Banco Pactual, Gustavo Hungria, diz que a principal recomendação do setor de alimentos é a Perdigão. "Nossa recomendação é de compra tanto para Perdigão, quanto para Sadia, mas as perspectivas da Pergidão são melhores", afirma. Ele explica que a empresa está investindo mais em produtos industrializados, como comida pronta, um segmento que tem uma demanda grande.Além disso, a Perdigão vai inaugurar um nova fábrica, aumentando a capacidade de produção e garantindo um crescimento de cerca de 10% nos próximos 2 ou 3 anos. Hungria destaca a estratégia mais agressiva e conclui: "Tudo isso deve se refletir no preços das ações da Perdigão, que devem ter uma boa valorização". Mas ele não arrisca um porcentual de alta.Aposta em SadiaJá a chefe da área de análise do Bank Boston Asset Management, Isabel Pedrosa, aposta em Sadia. Ela calcula que as ações da companhia possam acumular uma valorização de 35% até o final do ano. "As ações da Sadia caíram mais do que Perdigão, ela ateve piores margens deve recuperar a diferença e mostrar melhores resultados", afirma Pedrosa. "No curto prazo, a Sadia deve recuperar as perdas do primeiro semestre mais rapidamente", conclui.Segundo os dados da Economática, as ações preferenciais (PN, sem direito a voto) da Perdigão caíram 31,9%, da Sadia 32,9%. O preço dos papéis da Seara Alimentos tiveram uma desvalorização de 14,9% e no caso da Ceval a queda foi de 11,6%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.