finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Analistas veem bancos com cautela

Em meio à alta geral da inadimplência, outros segmentos de negócio (como seguro e tarifas) ganham espaço nos dois maiores bancos privados do País - Itaú e Bradesco.

O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2012 | 03h11

As receitas com prestação de serviços a clientes, como tarifas em contas correntes e administração de fundos, por exemplo, tiveram crescimento na faixa de dois dígitos nos dois bancos.

Os seguros também avançaram. No Bradesco, a participação no lucro total chegou a 32% (ante 28% no trimestre anterior). No Itaú, a fatia foi de 10% para 14%.

Para os analistas do JP Morgan Saul Martinez, Thomas Strakos e Christopher Delgado, a piora dos ativos de crédito continua desapontando e o cenário é de cautela para os grandes bancos. / ALTAMIRO SILVA JÚNIOR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.