bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Analistas vêem disposição para novo corte

A ata do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed) relativa à reunião de 18 de setembro, quando foi decido o corte de meio ponto porcentual na taxa de juros, para 4,75%, indica a disposição para um novo corte de juro, na avaliação de analistas de instituições em Nova York. Mas grande deles acredita que os dados econômicos e as condições financeiras não garantem um novo corte no encontro do Fed de 30 e 31 de outubro.Para o economista sênior do banco Wells Fargo, Scott Anderson, a ata, divulgada ontem, revela inclinação do Fed para um novo corte, se as condições econômicas ou financeiras exigirem. No entanto, para ele, neste momento ''''não há evidências que dêem suporte a um corte (em outubro). ''''As expectativas relacionadas aos dados econômicos mudaram desde o último encontro do Fed.''''O vice-presidente sênior e diretor de pesquisa econômica da Alliance Bernstein, Joe Carson, concorda que ''''não há garantias de que o Fed irá agir com um novo corte rapidamente, apesar de ser esse o desejo do mercado''''.O economista Robert Mellman, do JP Morgan, também acredita que não há garantia de um corte do juro em outubro, uma vez que ''''os dados econômicos não indicam piora da economia e o mercado acionário está registrando novas altas''''. No entanto, o analista espera que o Fed implemente um corte de menor magnitude, de 0,25 ponto porcentual, até o fim deste ano.O economista-chefe da Moody''''s Investors, John Lonski, crê em corte menor já em outubro.

Nalu Fernandes, O Estadao de S.Paulo

10 de outubro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.