Anatel admite erro e diz que não há problemas nas Casas Bahia

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) admitiu, hoje, que acusou indevidamente, ontem, as Casas Bahia de venderem produtos de telecomunicações sem certificação da Agência. Hoje, a Agência corrigiu o erro, informando que não foi encontrada nenhuma irregularidade nas lojas da empresa, durante a fiscalização realizadas ontem e na segunda-feira. Na verdade, os problemas atribuídos à empresa ocorreram em outra rede varejista, a "Casa & Vídeo", que, após ter produtos lacrados em três lojas, impediu a entrada dos fiscais em um depósito de produtos.Segundo a assessoria da Anatel, a troca dos nomes das empresas teria sido feita pela equipe de fiscalização, ao relatar os acontecimento à sede da Agência, em Brasília. Em nota divulgada à imprensa, as Casas Bahia informaram que nenhuma irregularidade foi detectada em suas lojas e afirmaram: "A rede assegura que todos os produtos comercializados por suas filiais são adquiridos diretamente dos fabricantes, dentro dos processos legais e fiscais que regem o mercado brasileiro".Após serem barrados no depósito da "Casa & Vídeo", os fiscais da Anatel anunciaram que voltariam nesta quarta-feira ao local com equipes da Polícia Federal, para executar a vistoria. A Agência informou que também encontrou produtos sem certificação em duas lojas do "Ponto Frio"; em seis da "Tele Rio" e em uma da "Tony Fotos". Segundo a Agência, não foi encontrada irregularidade nas lojas das "Casas Bahia", nas "Lojas Americanas" e nem no "Extra Hipermercados".A Anatel ainda não divulgou o relatório da fiscalização desta quarta-feira. O objetivo da fiscalização, que não tem data para acabar, é evitar a venda de produtos fora da especificação técnica, que podem causar interferência em equipamentos de comunicação. Também procura combater a venda de produtos contrabandeados, que prejudica os fabricantes legalmente instalados no País que pagam impostos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.