Anatel: banda larga ficará separada da telefonia fixa

Pela proposta de reformulação do Plano Geral de Outorgas (PGO), aprovada hoje pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as concessionárias de telefonia terão de criar uma empresa específica para administrar as redes de banda larga. Por essa decisão, prevaleceu a posição do conselheiro-relator da proposta, Pedro Jaime Ziller, que era acompanhada pelo conselheiro Plínio de Aguiar Júnior, contra a posição do presidente da agência, Ronaldo Sardenberg, e do conselheiro Antonio Bedran, que queriam as estruturas de banda larga e de telefonia fixa juntas na mesma empresa. Essa era uma das principais divergências que vinham atrasando uma decisão da agência da proposta.Ficou decidido, na reunião de hoje da Anatel, que 180 dias após a edição do novo PGO, a agência editará um regulamento específico para definir como o processo de separação será feito. O conselheiro Ziller negou que as divergências tivessem se transformado em impasse. "O conselho diretor (da Anatel) em nenhum momento esteve em conflito. O conselho esteve em discussão, preocupado em que o que saísse daqui fosse o melhor para o País e para as telecomunicações", afirmou Ziller.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.