Anatel: expectativas para leilão de 3G são muito boas

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Ronaldo Sardenberg, disse ter expectativas "muito altas" para o leilão de freqüências de terceira geração (3G) na telefonia celular. Ele espera que o resultado da licitação seja divulgado já no primeiro dia, 18 de dezembro. "Sabemos que vai haver certa luta pelas licenças. Há uma consciência de que é necessário ir para frente com 3G." Está prevista para amanhã a entrega de propostas na disputa. Os envelopes com os preços ficarão lacrados até a data do leilão.A perspectiva é de que o evento seja bem-sucedido, a despeito das impugnações feitas por algumas operadoras celulares, que mostraram insatisfação com relação aos preços mínimos das 44 licenças (R$ 2,8 bilhões ao todo) e metas de cobertura em municípios com menos de 30 mil habitantes. Segundo Sardenberg, a Anatel ainda está analisando as queixas das companhias. "Apesar das impugnações, continuo confiante de que tudo vai correr bem."Sobre as exigências de cobertura e preços das licenças definidos pela Anatel, o presidente disse que "é mamão com açúcar para as empresas". De acordo com ele, "é mais do que justo, para quem compra o filé, levar também o osso". No edital da disputa de 3G, o órgão regulador definiu que o vencedor na área metropolitana de São Paulo terá de prestar o serviço também na região Norte do País. Quem vencer a disputa pelo interior de São Paulo terá de levar parte do Nordeste.Sardenberg participa hoje do Fórum Telequest 2008, promovido em São Paulo, ao lado dos principais executivos do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.