Anbid destaca fundos de longo prazo

A perspectiva de rendimento no longo prazo é o ponto comum dos seis fundos de investimento destacados por um ranking elaborado pela Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid). São eles Concórdia Extra, de renda fixa; Atrium FIA, Atrium AI e DC Personal, de ações; e Hedging-Griffo e Lloyds Forex Upper, cambiais. Esses fundos ficaram bem classificados tanto entre os mais rentáveis quanto entre os melhores nas categorias renda fixa, de ações e cambiais. Para a elaboração do ranking, que levou em conta 120 fundos, foram considerados ainda o Índice de Sharpe, que mede a relação entre o risco e o retorno de um fundo. Renda fixaÚnico fundo de renda fixa incluído nas duas classificações - mais rentáveis e melhores -, o Concórdia Extra deu rendimento de 8,98% entre 1º de março e 1º de setembro. Operações com títulos prefixados voltadas para a queda gradual da taxa de juros básica foram a principal âncora usada pela corretora nos seis meses medidos pela Anbid. Hoje, o fundo está voltado para a variação do CDI. O fundo apresentou um rendimento de 1,37% em julho, 1,47% em agosto e 0,59% este mês, até o dia 15.AçõesMesmo diante das fortes oscilações das bolsas de valores nos últimos meses, dois fundos de ações da Corretora Atrium mantiveram bom desempenho. O Atrium FIA acumulou rentabilidade de 46,03% e o Atrium AI, 45,71%. No acumulado do ano, até 14 de setembro, as aplicações apresentam melhor rendimento ainda - o FIA acumula rentabilidade de 118,69% e o AI, 49,4%, enquanto o Ibovespa está negativo em 3,09%. A explicação para esses resultados das aplicações, de acordo com o diretor da corretora, está na composição das carteiras. A do FIA possui apenas ações de terceira linha e, eventualmente, de segunda linha. São papéis de empresas esquecidas pelos grandes investidores. Entre os papéis alocados na carteira estão Eberle e Brasil Telecom. As ações da carteira do fundo Atrium AI também têm uma estratégia diversificada. São compostas por papéis de empresas utilizadas em leilões para financiamento da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), nos programas Finor e Finam. A Sudene troca ações de empresas endividadas por financiamento para recuperá-las e depois leiloa seus papéis e compõe recursos para novos empréstimos.Cambiais As carteiras Hedging-Griffo Cambial FIF, da Corretora Hedging-Griffo, e Lloyds Forex Cambial Upper FAQ, da Lloyds Asset Management, adotam estratégias parecidas. Diversificam, de acordo com o período, cupom cambial e títulos indexados ao dólar. A carteira também privilegia o alongamento do prazo de vencimento dos papéis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.