bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Anbid: fundos cambiais têm rendimento de 4,34%

A forte alta do dólar em maio garantiu uma rentabilidade atraente para os fundos referenciados cambiais, que são compostos por títulos públicos cambiais, cujo rendimento é definido pela oscilação do dólar mais uma taxa de juros. Até o dia 24, o ganho bruto dessas carteiras é de 4,34%. No mesmo período, o dólar oficial apresentou alta de 6,83%. No acumulado do ano, os fundos cambiais registram ganho de 9,15%.Entre os fundos de investimento, o segundo lugar foi ocupado pelos fundos multimercado sem renda variável com alavancagem, com rendimento nominal de 3,80% no mesmo período. Os fundos multimercado podem ser formados por ativos em juros ou ações, sendo que a composição é definida pelo gestor, segundo o prospecto das carteiras. No caso dos fundos multimercado sem renda variável com alavancagem, o investidor não autoriza a colocação de ações na carteira. Porém, permite que o gestor invista mais do que o patrimônio do fundo nos mercados futuros.Entre as carteiras com rendimento vinculado às taxas de juros, os fundos referenciados DI (pós-fixados) apresentam rentabilidade nominal de 1,09% em maio, até o dia 24. No ano, o resultado é uma alta de 6,83%. Já os fundos de renda fixa prefixada registram ganho bruto de 1,04% no mês, e no ano a valorização bruta é de 6,57%.Fundos de açõesOs fundos de ações Ibovespa passivo registraram um dos piores rendimentos entre as carteiras formadas por ações. Nesse mês, até o dia 24, a queda é de 4,49%. No ano, a baixa é de 8,78%. Esses fundos têm por objetivo acompanhar o rendimento do Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bovespa. Já os fundos setoriais formados por papéis de empresas do setor de telecomunicações apresentaram uma perda de 5,87% e os setoriais compostos por empresas do setor de energia acumularam uma baixa de 5,02%.Os Fundos Mútuos de Privatização Companhia Vale do Rio Doce apresentam rendimento positivo no mês. As carteiras formadas por recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) apresentam ganho de 10,24% em maio, até o dia 24. Já as carteiras formadas por recursos próprios, alta de 10,14%. No ano, a valorização é de 30,28% e 33,67%, respectivamente.Outro fundo de ações com desempenho positivo em maio são as carteiras formadas por ações da Petrobrás. A alta é de 3,45% em maio para as carteiras formadas por recursos do FGTS e de 3,39% para os fundos com recursos próprios. No acumulado do ano, a valorização é de 19,38% e de 19,00%, respectivamente.Movimentação de recursosEntre os fundos de investimento, as carteiras de renda fixa prefixada apresentaram o maior volume de saques. No total, saíram destes fundos R$ 525,05 milhões. Nos fundos de ações, os saques foram de R$ 302,58 milhões. Em relação aos movimentos de entrada de recursos, os fundos cambiais captaram R$ 190,6 milhões e os fundos DI, R$ 59,72 milhões. No total, a indústria de fundos apresentou captação líquida positiva de R$ 1.151,58 milhões.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.