Anbid: fundos de ações continuam com perdas

Os fundos de investimento em ações tiveram, em sua maioria, perdas até o dia 8 de fevereiro. De acordo com relatório da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), os fundos de ações setoriais de telecomunicações foram os que registraram a maior queda, de 2,28%. O fundo de ações Ibovespa indexado, cujo objetivo de investimento é replicar o comportamento do Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais cotadas da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) -, apresentou perda de 0,76%. Já os setoriais de energia tiveram pequeno ganho, de 0,30%. Os fundos de privatização da Petrobrás também tiveram queda, de 0,53% (FGTS) e 0,55% (com recursos próprios).Entre as carteiras de fundos, o melhor desempenho foi verificado nos fundos de investimento no exterior, os chamados Fiex, compostos por papéis da dívida brasileira negociados no exterior. O ganho nominal apurado no período foi de 1,92%. Os referenciados câmbio, que acompanham a variação do dólar, também tiveram uma boa alta. Nestas carteiras, o ganho nominal foi de 1,36%. Entre as carteiras que pagam taxas de juros, os fundos referenciados DI (pós-fixados) tiveram uma alta ligeiramente superior à dos fundos de renda fixa prefixados. O rendimento nominal foi de 0,42% e 0,40%, respectivamente.Fundos registram saída de recursosApós passar o mês de janeiro captando recursos, os fundos de investimento voltaram a registrar saques no mês de fevereiro. O relatório da Anbid aponta que, até o dia 8, houve uma saída de R$ 2,731 bilhões. Nos últimos 30 dias, os saques foram de R$ 1,1 bilhão e, no ano, ainda há captação positiva de R$ 1,383 bilhão.Em fevereiro, os maiores saques ocorreram nos fundos de renda fixa prefixados, que registraram saída de R$ 1,271 bilhões. As carteiras que mais captaram foram as multimercado com renda variável e alavancagem, que tiveram entrada de R$ 133,49 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.