bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Anbid: fundos Ibovespa têm queda de 8,36%

Os fundos de ações tiveram queda significativa em maio, exceção feita aos de privatização da Companhia Vale do Rio Doce. Os fundos Ibovespa, que têm por objetivo acompanhar a variação do Ibovespa - índice que mede a variação das ações mais negociadas da Bolsa -, tiveram queda de 8,36% até o dia 13 de maio. Os dados são da Associação Nacional dos Bancos de Investimento.Essa queda dos fundos Ibovespa aumentou as perdas no ano, que chegam a 12,48%. Os fundos setoriais também estão em baixa: -8,99% para os fundos de telecomunicações e -8,15% para os de energia. No ano, as perdas são de 21,40% e de 2,97%, respectivamente. Esses fundos, juntamente com os Ibovespa, foram as maiores quedas do mês.Os fundos de privatização da Petrobrás também estão em baixa. Os que são compostos de recursos oriundos do FGTS tiveram, até o dia 13, queda de 6,29%. Aqueles que receberam recursos próprios dos investidores caíram 6,27%. Mas no ano ainda há ganho: de 8,15% e 7,88%, respectivamente.Essa queda dos fundos de ações acompanharam os mercados nas últimas semanas, quando as pesquisas eleitorais e o rebaixamento dos papéis brasileiros no exterior por bancos estrangeiros causaram queda significativa na Bolsa e alta do dólar.Com essa alta, os fundos cambiais, que buscam retorno com a variação da moeda norte-americana, tiveram bom ganho nos primeiros 13 dias de maio: 4,82%. Com a alta do dólar nas últimas semanas, esses fundos inverteram a tendência de baixa dos primeiros meses de 2002. No ano, os ganhos se acumulam em 9,64%.Os fundos de privatização da Companhia Vale do Rio Doce, apesar de também serem fundos de ações, foram o melhor investimento de maio, ganhando até dos fundos cambiais. Aqueles cuja captação foi feita com dinheiro do FGTS tiveram ganho de 7,73%. Os com recursos próprios tiveram alta de 7,67% e os migração, cujos investidores saíram dos fundos Petrobrás, de 7,65%. No ano, os ganhos são de 27,32%, de 30,66% e de 22%, respectivamente.Renda fixaPara os fundos que pagam taxas de juros houve ganhos menores. Os fundos de renda fixa, cuja taxa é prefixada, pagaram 0,48%. Os fundos DI, pós-fixados, tiveram ganho de 0,52%. No ano, os retornos são de 5,98% e de 6,23%, respectivamente.Fundos tiveram saída de R$ 1,3 biOs fundos de investimento tiveram saques de R$ 1,328 bilhão em maio, até o dia 13, de acordo com o relatório diário da Anbid. No ano, os saques são de R$ 5,049 bilhões. Essa saída de capitais, que vem ocorrendo desde março, deve-se, segundo analistas de mercado, aos saques que os fundos de pensão estão fazendo para pagar impostos devidos ao governo.A maior saída de recursos se deu nos fundos de renda fixa, que tiveram saques de R$ 1,451 bilhão. No ano, a maior saída de capitais se deu nos fundos DI, com saques de R$ 3,689 bilhões.Leia, no link abaixo, cartilha com dicas e explicações sobre investimentos em fundos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.