Anbid: fundos invertem tendência e captam

Contrariando uma tendência que vinha desde fevereiro, os fundos estão com captação positiva em maio. Até o dia 20, os depósitos foram de R$ 646 milhões. Mas, no ano, o saldo ainda é negativo em R$ 2,938 bilhões. As informações são da pesquisa diária da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid).Os fundos que mais perderam no mês foram os de renda fixa (prefixados), que tiveram saída de capitais de R$ 306 milhões. No ano, os que mais perderam foram os fundos DI (pós-fixados), com saques de R$ 3,163 bilhões.A maior captação em maio foi dos fundos de renda fixa com alavancagem - em que se pode investir no mercado futuro um capital maior do que aquele que o fundo possui -, que receberam um aporte de R$ 352 milhões.RentabilidadeAté o dia 20 de maio, os fundos que obtiveram os maiores ganhos continuaram sendo os de privatização da Companhia Vale do Rio Doce. Aqueles que fizeram sua captação com recursos do FGTS tiveram alta de 5,32%; os constituídos com recursos próprios do investidor, de 5,27%; os de migração renderam 5,26%. No ano, os ganhos são de 24,48% (FGTS) de 27,75% (recursos próprios) e de 19,29% (migração).Em segundo lugar em rentabilidade ficaram os fundos cambiais, que buscam retorno com a variação da moeda norte-americana. Esses fundos tiveram um retorno de 3,58%. No ano, os ganhos são de 8,36%.Os fundos de ações, apesar de ainda apresentarem queda, tiveram uma boa recuperação entre os dias 13 e 20 de maio. Os fundos de privatização da Petrobrás tiveram queda de 0,55% (FGTS) e de 0,51% (recursos próprios. Na semana anterior, as perdas foram de 6,29% e de 6,27%, respectivamente. Com essa recuperação, os ganhos do ano ainda são altos: respectivamente de 14,76% e de 14,52%.Outros que se recuperaram parcialmente das perdas da primeira quinzena do mês foram os fundos Ibovespa, que têm por objetivo acompanhar a variação do Ibovespa - índice que mede a variação das ações mais negociadas da Bolsa. Até o dia 13, eles estavam em queda de 8,36%. Na semana seguinte, subiram 4,72 pontos percentuais, mas ainda estão em baixa de 3,64%. No ano, as perdas são de 7,97%.Os fundos setoriais também estão em queda. Os de ações de empresas de telecomunicações tiveram queda de 4,19% até o dia 20 e de 17,26% no ano. Os de empresas de energia tiveram baixa de 5,53% no mês e de 0,20% no ano.Renda fixaOs fundos que pagam taxas de juros tiveram alta até o dia 20 de maio, de acordo com a Anbid. Os fundos de renda fixa (juros prefixados) pagaram 0,80%. No ano, os ganhos são de 6,32%. Os fundos DI (juros pós-fixados) pagaram 0,83% no mês e 6,56% no ano.Veja no link abaixo cartilha com dicas e dados sobre investimento em fundos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.