Anbid: fundos Petrobrás com maior ganho em abril

De acordo com dados preliminares da Associação Nacional de Bancos de Investimento (Anbid) referente ao mês de abril, os fundos mútuos de privatização da Petrobrás com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foram os mais rentáveis, com ganho de 16,77%. Os mesmos fundos compostos com recursos próprios tiveram rentabilidade ligeiramente inferior: 16,67%. Numa faixa intermediária, ficaram os fundos de ações, com 4,14%, registrando uma entrada de recursos pequena, de R$ 23,53 milhões. Em função da alta do dólar, os fundos cambiais também tiveram rendimento atraente: 2,49%.Vale lembrar que, no caso dos fundos cambiais, a tributação é mais pesada, pois, a cada mês, o ganho em reais sofre incidência de 20% de Imposto de Renda (IR). No caso dos fundos de ações, o IR é de 10% sobre o rendimento apurado no resgate da aplicação. Mas, a partir do próximo ano, essa alíquota também será de 20%.Os Fundos de Investimento no Exterior (Fiex), cujas carteiras são formadas por papéis da dívida brasileira cotados em dólar, registraram um ganho de 1,77% no mês. E em último lugar, com pequena diferença de rentabilidade, ficaram os fundos referenciados DI (pós-fixados), com rentabilidade de 1,15% e os fundos de renda fixa com perfil prefixado, com ganho de 1,14% no período.Fundos perderam R$ 4,31 bilhõesO destaque da pesquisa foi que os fundos, de maneira geral, sofreram uma grande retirada de recursos, de cerca de R$ 4,31 bilhões. A maior retirada de recursos foi registrada pelos fundos de renda fixa com perfil prefixado, com saques de aproximadamente R$ 3,46 bilhões. Uma parte desses recursos, quase R$ 1,31 bilhões, foi transferido para os fundos referenciados DI. Poucos investidores levaram seu dinheiro para a caderneta de poupança, que registrou captação no mês de apenas R$ 20,21 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.