coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Anbid: fundos têm saques de R$ 7 bi em junho

Os fundos de investimento registraram saída de capital líquida de R$ 7,054 bilhões até o dia 10 de junho, de acordo com o relatório diário da Associação Nacional dos Bancos de Investimentos (Anbid). Essas perdas são significativas: em apenas 10 dias de junho, saíram mais capitais dos fundos do que em todo o ano passado, quando os saques foram de R$ 5,7 bilhões. Em 2002, eles já chegam a R$ 12,368 bilhões.Apenas no dia 10 saíram dos fundos R$ 2,135 bilhões. Os que registraram maior fuga de capital foram os fundos de renda fixa (prefixados) que, no mês, registraram saques de R$ 2,945 bilhões; no ano, de R$ 3,887 bilhões; e, apenas no dia 10, de R$ 1,399 bilhões.Os fundos DI (pós-fixados) vêm logo atrás no mês, mas são os campeões de perdas no ano. Em junho, eles tiveram saques de R$ 2,713 bilhões. No ano, esses saques chegam a R$ 6,867 bilhões e, no dia 10 de junho, a R$ 727 milhões.A saída de capitais se deve principalmente à marcação a mercado dos fundos DI e de renda fixa, promovida no dia 31 de maio. A mudança que houve é que agora os títulos que compõem a carteira dos fundos serão marcados diariamente pelo valor que o título vale no dia, e não pelo valor acertado na data da compra do papel. Ou seja, o investidor poderá apurar perdas diárias caso os títulos percam valor de mercado até a data de vencimento dos papéis. No entanto, no vencimento o ganho é aquele acertado no início do investimento.RentabilidadeA maior rentabilidade registrada no mês é dos fundos cambiais, que buscam retorno com a variação do dólar. Eles tiveram retorno de 4,28% até o dia 10 de junho. no ano, os ganhos são de 13,95%. Em 2002, eles só perdem para os fundos de privatização da Petrobrás e da Companhia Vale do Rio Doce.Esses últimos tiveram retorno de 1,51% em todas as suas modalidades (FGTS, migração e recursos próprios) em junho. no ano, os ganhos são positivos 40,25%, 34,24% e 43,82%, respectivamente. Também os fundos FGTS foram os únicos a apresentar uma boa captação de recursos no ano, na ordem de R$ 1,022 bilhão.Os fundos de privatização da Petrobrás apresentam queda no mês. Os FGTS de 2,16% e os com recursos próprios de 2,19%. Mas, no ano, o resultado ainda é positivo: 14,85% e 14,38%, respectivamente.Outras carteiras que buscam retorno em ações apresentam quedas bastante significativas, tanto no mês quando no ano. Os fundos Ibovespa, que têm como objetivo acompanhar a variação das ações mais negociadas da Bolsa, tiveram queda de 2,84%. No ano, a baixa é de 8,99%.Os fundos setoriais também estão em baixa. Os de telecomunicações caíram 2,14% em junho e 16,98% no ano. Os de energia tiveram queda de 3,82% no mês e de 3,28% em 2002.Para quem investiu em fundos que pagam taxas de juros, houve um pequeno ganho até o dia 10. Os fundos DI pagaram 0,25% e os de renda fixa, 0,27%. No ano, o retorno é de 6,23% e de 5,91%, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.