Anbid não apoiará participação de fundos em infra-estrutura

O novo presidente da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), Alfredo Setubal, afirmou hoje que a entidade não apoiará a participação dos fundos de pensão no financiamento aos projetos de infra-estrutura do governo - através de fundos de investimento -, caso tal processo seja feito de maneira compulsória para projetos que não tenham um retorno adequado. "É um risco para os fundos de pensão os projetos não terem o retorno esperado. Sou contra o direcionamento de forma compulsória desses fundos", afirmou Setubal em entrevista coletiva após a solenidade de posse da nova diretoria da Anbid.CVM indica ?private equity?O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Luiz Leonardo Cantidiano, defende que o governo utilize fundos de "private equity" ? carteira cujos recursos são direcionados a empresas com perspectivas de crescimento - como instrumento de financiamento aos projetos de infra-estrutura. "Ouvi dizer que o fundo de private equity seria o instrumento utilizado para esse tipo de investimento", afirmou Cantidiano, ao comentar a participação dos fundos de pensão no financiamento desses projetos. Para analistas, o instrumento traz a vantagem de dar maior transparência aos participantes do fundo sobre os volumes, prazos e características envolvidos em cada investimento. O presidente da CVM afirmou que a idéia não é fazer com que os fundos de pensão sejam "forçados" a fazer investimentos neste ou naquele setor, até porque as tentativas anteriores nesse sentido não deram certo, diz ele. Ele defende a possibilidade de se redefinir os limites de aplicação para as fundações, de modo a permitir o financiamento espontâneo dos fundos para os projetos de infra-estrutura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.