Andima prevê queda nos juro sinalizada pelo compulsório menor

O presidente da Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima), Edgar da Silva Ramos, entende que a redução hoje na alíquota do compulsório sobre depósito à vista ? parcela de recursos que os bancos devem recolher ao Banco Central ? de 60% para 45% indica que o BC deve prosseguir na tendência de queda dos juros. Segundo ele, a demanda por empréstimos está bastante reduzida dadas as altas taxas de juros. "Só quem está no sufoco toma empréstimos a essas taxas", diz. A redução contínua nas taxas de juros e a maior oferta de crédito por conta da queda do compulsório farão com que entrem no mercado de crédito demandantes "mais qualificados". Ele disse que os recursos liberados pela diminuição no compulsório sobre os depósitos à vista "não serão utilizados pelos bancos para especular com dólar", pois os juros nos títulos públicos estão bastante elevados. A queda no compulsório significa basicamente "uma pré-estréia" da expectativa de uma redução mais substancial nas taxas de juros, conclui o presidente da Andima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.