finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Andima projeta crescimento do PIB para 3,1% em 2006

A Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima) informou nesta segunda-feira, em seu boletim de conjuntura, suas projeções para o cenário macroeconômico de 2006 e de 2007. Segundo a entidade, o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer 3,1% em 2006, e subir 3,5% em 2007. Ainda de acordo com a instituição, a taxa básica de juros, a Selic (atualmente em 14,25% ao ano), média ao ano deve ficar em 15,2% em 2006, e em 12,6% em 2007.A Andima também informou que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve encerrar este ano com alta de 3,1%; sendo que, em 2007, o indicador deve subir 4,2%. No caso do Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), o índice deve subir 3,3% em 2006, e registrar alta de 4,2% em 2007.Por sua vez, a balança comercial deve registrar superávit de US$ 44 bilhões em 2006, e de saldo positivo de US$ 36,7 bilhões em 2007. Já a taxa média de desemprego aberto do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deve ficar em 10% na média de 2006, e 9,6%, em média, no ano que vem.Economia mundialA associação informou ainda que em um cenário com maiores incertezas no G-7 (grupo dos principais países desenvolvidos), a expectativa é de que crises políticas em alguns países podem levar à reavaliação, pelos investidores estrangeiros, das alocações de ativos no mercado brasileiro e nos países emergentes como um todo.Na avaliação da entidade, foi considerado que "a liquidez internacional será preponderante para identificar movimento de venda de ativos". As avaliações são do comitê de acompanhamento macroeconômico da associação.De acordo com a Andima, o cenário político e econômico mundial e a proximidade do pleito eleitoral foram o pano de fundo no debate na reunião do comitê.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.