Andrade minimiza paralisação de fiscais agropecuários

O ministro da Agricultura, Antonio Andrade, minimizou nesta quinta-feira, 29, a paralisação de fiscais federais agropecuários, que convocaram uma greve para reivindicar a meritocracia na ocupação de cargos técnicos da pasta, além da realização de concurso público e criação da escola de formação profissional.

RAFAEL MORAES MOURA, Agencia Estado

29 de agosto de 2013 | 20h21

"O Brasil tem vários fiscais que não concordam com a greve, a greve é uma intromissão nas nossas nomeações administrativas. Nada impede que nós possamos botar até um médico para ser um secretário da Política de Defesa Agrícola", afirmou Andrade, após participar de reunião no Palácio do Planalto para tratar do programa Mais Médicos.

Fiscais agropecuários protestaram nesta quarta-feira, 28, em Brasília, nas proximidades do Ministério da Agricultura e distribuíram quatro toneladas de frango para a população. "Se o fiscal entrar em greve, nós acionaremos o corpo jurídico nosso. Temos fiscais agropecuários que não concordam com a greve, esses fiscais em vários Estados estão dispostos a dar cobertura aos trabalhos. Não nos amedronta de forma nenhuma", afirmou. "Estamos crescendo bastante, abrindo novos mercados e nós continuaremos abrindo esses mercados, e as missões estrangeiras que vierem ao Brasil serão muito bem recebidas e teremos fiscais para atendê-las."

Tudo o que sabemos sobre:
Protestofiscais agropecuáriosAndrade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.