Aneel analisa recuperação para distribuidoras do Rede

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, afirmou que o órgão regulador ainda avalia o plano de recuperação para as oito distribuidoras do Grupo Rede apresentado pelo controlador da companhia, o empresário Jorge Queiroz. "Nós encaminhamos esse plano para todos os interventores das distribuidoras, porque eles têm um conhecimento e um domínio maior da situação real das empresas", disse o executivo, que participou nesta terça-feira (27) de evento realizado na cidade de Campinas (SP).

WELLINGTON BAHNEMANN, Agencia Estado

28 de novembro de 2012 | 10h57

Pelo plano de recuperação apresentado por Queiroz, as oito distribuidoras do Grupo Rede, que estão localizadas nos Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Tocantins, precisam de um aporte de R$ 773 milhões. "Os interventores estão avaliando se aqueles valores de investimento e capitalização previstos para cada uma das concessionárias são razoáveis e satisfatórios ou se serão necessários ajustes no plano", explicou. Hoje, as concessionárias do Grupo Rede estão sob intervenção da Aneel por força da Medida Provisória (MP) nº 577/12.

Segundo Hubner, essas análises serão repassadas pelos interventores à Aneel posteriormente e serão consolidadas às avaliações em curso elaboradas pela área técnica da agência. "A partir daí, nós iremos retornar à empresa para ajustar o que for necessário ao plano", disse.

A aprovação pelo regulador do plano de recuperação das oito concessionárias do Grupo Rede é uma das condicionantes para a efetivação do compromisso de compra e venda da empresa pelo consórcio CPFL Energia/Equatorial, conforme noticiou a Agência Estado nesta terça-feira (27) à noite com exclusividade. Segundo uma fonte do mercado próxima à operação, as duas empresas irão assinar a compra da fatia acionária de Queiroz no Grupo Rede dentro das próximas semanas, muito provavelmente antes do dia 20 de dezembro. "As negociações já estão super avançadas", disse a fonte.

Além da aceitação do plano de recuperação das distribuidoras, outra condicionante se refere à aprovação do plano de reestruturação da dívida do Grupo Rede pelos seus credores. Na última sexta-feira (23), o empresário Jorge Queiroz ingressou com um pedido de recuperação judicial para as holdings do grupo. A partir do momento que a Justiça aceitar o pedido, a companhia terá até 60 dias para apresentar esse plano aos credores. Feito isso, vão mais 120 dias para que a proposta seja aprovada ou não pelos credores. "Esse plano já irá refletir a visão dos compradores do Grupo Rede sobre essa questão", informou a fonte.

Tudo o que sabemos sobre:
AneelGrupo Rederecuperação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.