Aneel: ano-teste de bandeira tarifária começará em junho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu nesta terça-feira que o chamado "ano-teste" para as bandeiras tarifárias deverá se iniciar em junho, com o dado da situação do custo de geração de energia em todas as contas de luz do País. A partir de 1.º de janeiro, os consumidores passarão a pagar mais pela energia sempre que o nível dos reservatórios da região estiver abaixo do considerado ideal.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

16 de abril de 2013 | 18h44

Quando entrar, de fato, em vigor, em 2014, as bandeiras significarão um acréscimo na cobrança a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Quando os reservatórios estiverem cheios e as condições de geração forem favoráveis, a bandeira para a região ficará verde e não haverá pagamento adicional pelos consumidores.

Já com a bandeira amarela, cada 100 kWh usados custarão 1,50 real a mais para o usuário. Na bandeira vermelha - situação em que se encontravam todas as regiões do País entre o fim de 2012 e o começo de 2013 -, a cobrança adicional será de 3 reais por 100 kWh. De acordo com a Aneel, a criação das bandeiras tarifárias permitirá aos consumidores acompanharem mais de perto as variações dos custos de geração da eletricidade no País e beneficiará os clientes que saibam economizar energia. Atualmente, o repasse do custo do uso da energia térmica é feito com atraso, apenas nas revisões tarifárias, e vale da mesma maneira para todos os usuários. Com a mudança, os consumidores poderão controlar a quantidade de energia consumida para evitar, assim, o pagamento de um adicional mais alto em períodos de seca.

Tudo o que sabemos sobre:
Aneelbandeira tarifáriacontas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.