Aneel aprova reajuste médio de 19% na conta de luz da Light

Novas tarifas começam a valer em 7 de novembro; reajuste concedido pela Aneel ficou abaixo do solicitado pela Light, que atende Rio e Baixada Fluminense

Anne Warth, Agência Estado

04 de novembro de 2014 | 11h05

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 4, um aumento médio de 19,23% nas tarifas da Light. Para consumidores conectados à alta tensão, o reajuste será de 19,46%, e para consumidores residenciais, a conta de luz vai subir 19,11%. As novas tarifas vigoram a partir de 7 de novembro.

A Light atende 3,7 milhões de unidades consumidoras no Rio de Janeiro e Baixada Fluminense.

De acordo com a companhia, dos 19,23% aprovados pela Aneel, 0,6 ponto porcentual ficará com a Light. O restante do reajuste será usado para custear gastos com compra de energia, transmissão e encargos setoriais.

A decisão da Aneel ficou abaixo da proposta da Light, que havia solicitado à Aneel um reajuste que teria um efeito médio de 20,9% nas tarifas. A empresa queria que uma parte do custo com a compra de energia, de cerca de R$ 100 milhões, fosse alocado já neste ano.

O cálculo da Aneel, porém, prevê que esse custo seja considerado uma exposição involuntária e, portanto, repassado apenas no reajuste tarifário de 2015, ou seja, daqui um ano. A demora em fazer esse repasse causa impacto imediato no caixa da empresa, que só é reembolsado com um ano de defasagem.

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, reconheceu que o pedido da companhia era pertinente, mas não acatou a proposta. Rufino disse, porém, que o órgão regulador está atento às solicitações das empresas para mitigar os impactos financeiros da compra de energia para as distribuidoras.

Notícias relacionadas
    Mais conteúdo sobre:
    conta de luzlightenergia

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.