Aneel aprova retificação de tarifas da Enersul

Agência determina uma redução média de 6,66% nas tarifas, que entrarão em vigor a partir de quarta-feira

Leonardo Goy, da Agência Estado,

04 de dezembro de 2007 | 18h49

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 4, a retificação das tarifas cobradas pela Empresa Energética do Mato Grosso do Sul (Enersul). A agência determinou uma redução média de 6,66% nas tarifas, que entrarão em vigor a partir de quarta. Para os consumidores residenciais, a queda nas contas de luz será de 7,12%. Já as indústrias terão redução de 5,54% no gasto com energia. A correção feita pela Aneel refere-se à Revisão Tarifária Periódica de 2003. A Agência argumenta que foram detectados erros na apuração da base de remuneração da empresa, o que faria com que a correção aplicada na época fosse reduzida de +50,81% para +43,23%. Os valores pagos a mais pelos consumidores desde então serão devolvidos a partir da revisão tarifária do próximo ano, prevista para 8 de abril. A Enersul abastece cerca de 700 mil unidades de consumo em 73 municípios no Mato Grosso do Sul. A tarifa de energia produzida pelas usinas nucleares de Angra 1 e 2, no Rio de Janeiro, também foi reajustada, em 6,29%. Com isso, a energia nuclear produzida no Brasil passará a custar R$ 120,35 por megawatt/hora. As duas usinas são controladas pela estatal Eletronuclear que vende toda a geração para a também estatal Furnas Centrais Elétricas, que revende a energia para as distribuidoras. Como a comercialização é feita de forma pulverizada, não é possível saber o impacto do aumento de preço da energia de Angra no consumidor final.

Tudo o que sabemos sobre:
AneelEletricidadeReajuste

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.